Vídeos importantes

domingo, 15 de dezembro de 2013

Mais um passo dado na destruição do ensino público: Avaliação de professores com menos de cinco anos de serviço

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=3565252

Professor PERCEBE:

1) Que a decisão de avaliar profs os com menos de 5 ano de serviço era mesmo o objectivo inicial, e que para ser implmentado teve de se fazer o jogo de simular que seria para todos, a fim de que se pudesse aparentemente recuar. As elites têm contratados psicólogos e sociólogos de alto gabarito nas melhores Universidades,  desde há muitos anos, não esquecendo a Rand Corporation e o Instituto Tavistock, os chamados "think tanks", que desenvolvem estratégias como chegar à almejada "Nova Ordem Mundial". Estes sabem como impôr uma nova lei promotora de repressão ou de divisão e do desagrado de modo geral na sociedade ou em determinadas comunidades.


2) Que realmente têm sido manipulados de modo a colocarem-se uns contra os coutros.
[Regalias diferentes, e estatutos diferentes, absurdamente discriminatórios entre professores com habilitações semelhantes, ou o contrário, promoção de professores com habilitações inferiores, não são fruto do acaso, ou de um legislador inconpetente ou corrupto. São sim manobras bem congeminados, com bastante tempo de antecedência nomeadamente a partir da Escola de Frankfurt, promotora do "Marxismo Cultural", e dos referidos "think tanks", que depois são passados via ONU, Comissão Trilateral, Clube Bilderberg,  UE etc . . . para os legisladores de cada país sob a garra da Nova Ordem Mundial, que são os países do Ocidente, Américas, à parte daÀsia e África ]


3) Que as matérias que ensinam são frequentemente inadequadas e falsas. Os exemplos são abundantes mas referimos dois apenas alguns: i) o fim dos recursos naturais como o petróleo -- cuja origem é biológica e permanentemente renovável. ii) O aquecimento global, quando inúmeros cientistas honestos prevêm o início de uma nova era glacial. iii) Que o CO2 tem efeito de estufa, quando é um gás que representa cerca de 0.04% da atmosfera AQUI sendo fisicamente impossivel que tenha um efeito de estufa poderoso. iii) Diversas matérias promovem cidadãos não pensantes e subservientes a um estado que sempre se revelou repressor em todas as épocas. iv) A História da Humanidade remota e recente nada tem - ou pouco - tem a ver com o que está nos livros e com o que se estuda nas Universidades.


4) Que as matérias importantes não são ensinadas.
Desde logo o efeito placebo é em nosso entender um dos factos mais notávies escondido à vista de todos. Ninguém o refere, excepto nos estudos das farmcêuticas com o fim de promoverem as suas drogas -- erroneamente e culturalmente apelidadas de "medicamentos". O efeito placebo prova que o Sapiens Sapiens tem poder, e MUITO. Afinal o efeito placebo funciona  entre 30 a 40 por cento de doenças. Nalguns casos pode chegar aos 90%.
Outrs matérias como telepatia e visão remota foram estudadas no séc. XX com resultados bastante evidentes, mas tenta-se manter estes factos escondidos dos professores e claros dos alunos e da sociedade em geral. Todavia sabemos hoje que os próprios serviços de espionagem da ex URSS e dos EUA os utilizaram.
A quantidade de sites na net que afiraam o contrário bem como todo o paranormal é abundante. Use a sua intuição para decidir.
http://www.youtube.com/watch?v=hghVi6JyyN8

http://news.slashdot.org/story/13/12/12/0145257/soviet-union-spent-1-billion-on-psychotronic-arms-race-with-the-us


5) Que a sua perca de autoridade não foi para beneficiar os alunos.
Não estamos a defender o autoritarismo anterior em que por dá cá aquela palha se pregava logo uma estalada na cara das crianças. Contudo há muitas maneiras pacíficas de exercer autoridade. O desrespeito pelo professor deveria de ser um anátema profundo na vida de um aluno. Não o é infelizmente. E é do conhecimento deste autor que os professores já se habituaram a tolerar faltas de respeito constantes por parte dos alunos. Ser-se interrompido, barulho ou burburinho constante na sala de aula tornaram-se, e são o pão nosso de cada dia de milhares de classes em Portugal e milhões em todo o mundo. A mais pequena falta de respeito, repito, A MAIS PEQUENA FALTA DE RESPEITO, deveria de ser alvo de um castigo elevado para o aluno, em termos de avaliação, suspensão ou mesmo expulsão. Nada disso acontece.
A falta de respeito infelizmente continua depois nos ógãos de (des)comunicação social, nos políticos. Claro não convèm esquecer que os políticos são jogadores menores de uma elite que os controlam em absoluto. O mito de que o professor deve manter a ordem na sala de aula, foi de resto uma excelente jogada promovido de "psícólogos" e outros "pedagogos" "doutorados" até em "Ciências da  Des)Educação". Um professor não tem de manter a disciplina na aula. A aula já tem de estar disciplinada, o que é totalmente diferente,]


6) Que a introdução dos "psicólogos" nas escolas não foi para resolver problemas relacionados com os alunos.
É certo que  as Ciências Psicológicas vieram trazer grandes avanços no conhecimento do interior do ser Humano. Ou pelo menos parte do conhecimento interior. Todavia não são de descurar as inúmeras experiências que a elite promoveu no domínio destas ciências e cujo objectivo era pura e simplesmente saber até que ponto e como era possível, controlar a sociedade de modo a torná-la uma camada de seres acéfalos, obedientes ao estado e incapazes de pensar por si próprios, muito menos de questionarem a autoridade ou revoltatrem-se. Doenças foram inventadas a fim de que se pudesse ter um pretexto para drogar as pessoas, e claro ganhar dinheiro no processo.
http://inacreditavel.com.br/wp/ritalina/
Ou seja, a psicologia veio fazer a ponte com a Psiquiatria, um pseudo-ciência, ligada à altamente corrupta indústria das farmacêuticas.
http://www.cchr.pt/cchr-reports/massive-fraud/introduction.html


7) Que as Ciências da Educação na verdade têm a ver com a destruição sustentada da sua profissão.
[A elite sempre soube que para nos manipular teria de chamar nomes diferentes às "coisas". Chamar medicamentos às drogas que nos envenenam. Dizer que têm efeitos secundários, quando na verdade os efeitos não são secundários, são efeitos reais  Criar a ilusão de que velam pelo nosso bem estar quando na verdade vão preparando o terreno para a nossa total submissão. Exemplo ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a pretexto de segurança, destruiram inúmeros pequenos produtores de diversos produtos alimentares, quando provavelmente nunca houve sequer em toda a sua vida de produtores um único caso de intoxicação alimentar. Sim é certo, há produtores menos honestos e desonestos que vendem gato por lebre. Mas esses são o pretexto justamente para abater os outros e dar livre caminho à grande indústria agro-alimentar, que essa sim não tem qualidade, e  nos tem vindo gradualmente a intoxicar. Os exemplos deste tipo de manipulação são infinitos, e o leitor pode facilmente chegar à conclusão que tudo o que o estado faça para o nosso suposto "bem estar" tem na verdade como fim exactamente o oposto. As ciências da Educação têm por detrás de si instituições e peronalidades mais que conhecidos pela sua ligação à promoção da Nova Ordem Mundial, como nos EUA Rockefeller e Carnegie (AQUI) e os já referidos "think - tanks" Rand e Tavistock.


8) Que a indústria do entretenimento, jogos de vídeo, cinema de Holywood, cinema de animação da Disney, música e video clips musicais, são promotores de "valores culturais"  que desvalorizam valores acarinhados no passado como , justamente o respeito pelo professor, mas também pela família, o civismo, a educação e urbanidade, a inteligência e a finura de espírito, o gosto pelas grandes expressões artísticas, livres justamente desta engenharia social. Acresce que esta indústria do entertenimento, também  promove  a violência sob todas as formas: racial, entre classes, entre sexos, entre gerações,  entre culturas, e claro . . .   entre professores e alunos. A indústria do entretenimento é possivelmente o maior e mais eficaz inimigo do ensino de qualidade. Todavia, raramente se ouve falar os professores neste assunto.  O próprio sindicato opta por ignorá-los.

9) Que a burocracia e a tecnocracia, são armas de arremesso para a destruição eficaz do ensino. [Desde há alguns anos os professores têm vindo a ser bombardeados com exigências de preenchimento de papéis que em nada melhoram a qualidade do ensino. Planificações, grelhas de avaliação, objectivos, estatísticas etc . . . apenas fazem o professor consciente -- porque também há os trepadores sociais e os idiotas úteis, que acham que tudo isso é muito útil -- sentir que está a perder o seu tempo. E em vez de se empenhar em investigar qualquer assunto novo que pudesse trazer frescura para as suas aulas e alunos, na verdade vai-se desmotivando gradualmente com o tempo, vai-se deshumanizando. As aulas outrora dadas com energia e alegria, passam sê-lo de modo maquinal, devidamente pontuadas pela indisciplina e péssimo civismo de muitos alunos. Por outro lado o Ministério providencia tenocratas que ou ensinam a aplicar as novas "burrocracias" ou a vigiar a sua aplicação.  A origem da estratégia tem sido dita por vários estudiosos que assenta já na Escola de Frankfurt, que no fundo, desejava o colapso social, a fim de que a revolução Marxista pudesse triunfar. Apenas uma das muitas estratégias da Nova Ordem Mundial.



10) Que as toxinas na cadeia alimentar, a comida de plástico ou fast-food, água de pouca qualidade ou com Bisfenel A (ou BPA- todas as garrafas de água são feitas de BPA) e finalmente as vacinas que contêm todo o tipo de toxinas, são mais uma forma de minar o ensino. [Os esudos que comprovam a toxicidade em todas as vacinas por exposição a - entre outras toxinas - alumínio e mercúrio são claros. As consequências em crianças e jovens podem ser fatais não só para as suas capacidades intelectivas, mas também para a capacidade de concentração. Daí que todo este bolo de toxinas à mistura com má nutrição devem ter gerado nas últimas gerações jovens com um QUI provavelmente mais baixo que há apenas algumas dezenas de anos. Esses estudos e estatísticas penso que devem de estar ainda por fazer.]

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2009/01/27/mercury-in-vaccines-was-replaced-with-something-even-more-toxic.aspx


11) Que os sindicatos têm uma actuação extremamente dúbia em relação à defesa dos direitos dos professores e no fundo em relação à mnutenção da eficácia do ensino.
[A este autor parece mais que os sindicatos actuam como forma de divisão, pois são vários. Por outro, actuam como oposilção controlada. As elites sempre souberam como poderiam criar aparentes movimentos de oposição ao seu poder. O referido "Marxismo Cultural" da Escola de Frankfurt é apenas um deles. Na organização globalista  "Comissão Trilateral" fundada por Rockefeller/Brzezinsky constam dirigentes de movimentos sindicais. Daí que as suspeitas são em nosso entender legítimas.]

http://www.trilateral.org/go.cfm?do=page.view&pid=32


12)  Que encontrarão muitos "estudos" na net que contrariam todo e qualquer um dos pontos de vista aqui apresentados.
Normalmente revestidos de uma capa de pseudo intelectualismo que dá pelo nome de "céptico", "racional", ou de estudos revistos por pares -- quando os pares são pagos pelos do costume, ou lavados cerebralmente pelo sistema. Enfim querem convencer-nos que não há conspirações, que o ser humano é por natureza mau, facilmente corruptível, e sobretudo que não temos poderes mentais/espirituais como o do efeito placebo e outros nos mostram.

O assunto da destruição do ensino de forma arquitectada, será decerto alvo de muitas teses de doutoramento no futuro, após a mudança de paradigma social e espiritual já em curso.




Estes assuntos são do domínio público. Ignorá-los não revela inteligência.

Para mais informação : "Armas silenciosas para guerras quietas" [Silent Weapons for Quiet Wars]

e:

http://www.deliberatedumbingdown.com/

Bem como as entrevistas a Charlote Iserbyt

Sem comentários:

Enviar um comentário